Comunicado - Polónia


A APF vem manifestar a sua solidariedade com as mulheres polacas que, com a aplicação da nova lei do aborto, vêm restringidos os seus Direitos. A nova legislação torna a interrupção da gravidez, praticamente, impossível, não considerando como razão válida a malformação (mesmo que severa) do feto.


As restrições legais à interrupção da gravidez encontram-se relacionadas com a realização de abortos inseguros que colocam em causa a saúde e as vidas de milhões de mulheres em todo o mundo.


A APF, enquanto ONG que atua na esfera da Saúde e Direitos Sexuais e Reprodutivos, considera que é fundamental a intervenção da União Europeia para salvaguardar os princípios democráticos na Polónia e o respeito pelos Direitos das Mulheres.