Implante

Implante

O que é?  
O Implante é um método contracetivo hormonal de longa duração (3 anos). Não contém estrogénios, sendo composto apenas por um progestativo (hormona semelhante à progesterona). 

É um pequeno bastonete flexível, com quatro centímetros de comprimento e dois milímetros de diâmetro, e a inserção é feita no antebraço por um profissional especializado. Trata-se de um procedimento simples em que apenas é necessário o uso de uma anestesia local. A sua remoção deve ser feita também por um médico. 

A inserção deve ser nos primeiros dias da menstruação, de modo a que a mulher fique desde logo protegida relativamente a uma gravidez.

Como atua?
O Implante vai libertando de forma gradual e continua, uma pequena quantidade de hormonas para a corrente sanguínea.

Atua de duas formas:

  • Inibe a ovulação, isto é, impede que os óvulos se libertem dos ovários; e
  • Torna mais espesso o muco cervical, dificultando a entrada dos espermatozoides no útero.

Qual é o nível de eficácia?

  • Eficácia superior a 99%;
  • É eficaz durante 3 anos, ao fim dos quais pode ser substituído por um novo, se a mulher assim o desejar.

Quais as vantagens?

  • É um método adequado para quem pretende um efeito de longa duração e de elevada eficácia;
  • Não interfere com a relação sexual e não requer a toma diária;
  • Não requer precauções adicionais em caso de vómitos e diarreia; e
  • Não interfere com a amamentação.

E as desvantagens?

Quais são os efeitos secundários?
Os efeitos secundários que podem aparecer, normalmente, não são graves e são passageiros. Os mais frequentes são:

  • Alteração do ciclo;
  • Dores de cabeça;
  • Tensão mamária;
  • Sensação de aumento de peso;
  • Agravamento ligeiro do acne; e
  • Alterações do humor.