Contraceção hormonal injetável

O que é?
Trata-se de um método contracetivo que consiste numa injeção intramuscular profunda, de uma solução aquosa, constituída por um progestativo (acetato de medroxiprogesterona).

Como atua?
O progestativo é libertado lenta e progressiva no sangue, inibe a ovulação e altera o muco cervical.

É administrado de 12 em 12 semanas, pelo que cada injeção tem efeito contracetivo durante 3 meses.

Quem pode utilizar a contraceção hormonal injetável?
A utilização da contraceção hormonal injetável é indicada quando é necessário um método de elevada eficácia e, por razões médicas, não é recomendado o uso da contraceção oral (pílula) ou o Dispositivo Intrauterino (DIU).

Está contraindicado em situações de:

  • Gravidez;
  • Neoplasias hormonodependentes;
  • Hipertensão grave; e
  • Diabetes mellitus com lesões vasculares.

Qual o nível de eficácia?
É um método eficaz e seguro. O nível de eficácia é de 0,0 a 1,3 gravidezes por ano em cada 100 mulheres.

Quais as vantagens?

  • Este método é bastante discreto e prático na sua utilização, uma vez que não interfere na relação sexual e não obriga à toma diária, como sucede com os métodos de contraceção orais;
  • Pode melhorar a qualidade do aleitamento;
  • Os riscos de desenvolver Doença Inflamatória Pélvica, gravidez ectópica ou carcinoma do endométrio, são menores; e
  • Reduz as perdas de sangue.

E as desvantagens?

Efeitos secundários

  • Irregularidade no ciclo menstrual. Em situações raras, pode conduzir a hemorragias contínuas; e
  • Pode causar em certas mulheres: dores de cabeça, perda de cabelo, aumento de peso.