Herpes genital

O herpes genital é uma infeção sexualmente transmissível que se localiza à área genital (pele e mucosas), e que é causada pelo vírus Herpes simplex (VHS)

Sabias que:

Existem dois tipos de vírus Herpes simplex o tipo1 (VHS-1) e o tipo 2 (VHS-2). O vírus herpes simplex do tipo 1 é o principal responsável pelo herpes labial e provoca lesões na região oral, nasal e, mais raramente, nos olhos. O vírus herpes simplex do tipo 2 é responsável pelo herpes genital e causa lesões nos genitais e ânus.

No entanto ambos os tipos podem infetar os órgãos genitais, o períneo, a área anal e as mãos (especialmente os leitos das unhas) e podem ser transmitidos a outras partes do corpo.

Como se transmite?

O herpes genital transmite-se durante a relação sexual (sexo vaginal, oral ou anal) com alguém que tenha a infeção, pelo contacto com a pele ou mucosas infetadas pelo vírus.

A transmissão pode ocorrer mesmo quando não existem lesões visíveis (bolhas ou vesículas), porque o vírus é libertado pelas terminações nervosas da zona infetada, antes do aparecimento das lesões, até à sua cicatrização completa.

Como se manifesta?

Na maioria das vezes, o herpes não causa sintomas. Noutros casos provoca episódios mais ou menos frequentes de lesões, que em cada surto se localizam na mesma área genital. O intervalo entre os episódios de lesões é muito variável e imprevisível.

Os sintomas começam com ligeiro ardor, prurido ou formigueiro, segue-se o aparecimento de pequenas manchas vermelhas, sobre estas formam-se pequenas bolhas ou vesículas agrupadas, que rebentam ocasionando feridas que se cobrem de crostas e por fim cicatrizam. Todo este processo é muito doloroso, sobretudo no episódio inicial da infeção, designado primoinfeção.

O surto de primoinfeção é mais doloroso e prolongado, com mais lesões do que os seguintes (recidivas), podendo ocorrer febre e mal-estar geral.

A presença de lesões de herpes genital durante a gravidez exige um acompanhamento cuidadoso da grávida e pode ser necessário fazer cesariana, para impedir a transmissão do HSV ao bebé durante o parto.

Qual o período de incubação do vírus?

O período de incubação, nas pessoas com manifestações da infeção, vai de poucos dias a vários meses (> 6 meses).

Como se diagnostica?

O diagnóstico é feito pela história clínica e observação das lesões características de herpes. Existem testes que permitem o isolamento do vírus por cultura e outros que pesquisam o ADN do HSV por métodos moleculares, mas não são utilizados na prática clínica, no diagnóstico nem no acompanhamento das pessoas com herpes genital,

Como se trata?

Não existe uma cura definitiva para o herpes, mas existem medicamentos antivíricos que tratam as lesões e encurtam o tempo do episódio. O tratamento com antivirais específicos para o HSV deve ser iniciado logo no início dos sintomas, tanto na primoinfeção como nas recidivas.

Como se previne?

A melhor forma de prevenção é não ter relações sexuais durante um surto de herpes, pois é quando o vírus se transmite mais facilmente.

A utilização regular do preservativo diminui a probabilidade de ficar infetado/a. No entanto como o preservativo não cobre toda a área de pele/mucosa infetada pode haver transmissão.

Fonte:

http://www.spginecologia.pt/uploads/revisao_dos_consensos_em_infeccoes_v...

http://www.apf.pt/infecoes-sexualmente-transmissiveis/herpes-genital-0

https://www.spdv.pt/op/document/?co=211&h=c4c6d

https://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/herpes-simplex-virus

https://www.cdc.gov/std/herpes/stdfact-herpes.htm