Objetivos e temas 1.º ciclo

Objetivos

Aumentar e consolidar conhecimentos sobre:

  • Diferentes componentes anatómicas do corpo humano
  • Fenómenos de discriminação social baseada nos papéis de género
  • Mecanismos básicos de reprodução humana (elementos essenciais da gravidez,
  • contraceção e parto)
  • Cuidados necessários ao recém-nascido e à criança
  • Significado afetivo e social da família, relações de parentesco e modelos familiares
  • Adequação do contacto físico nos diferentes contextos de sociabilidade
  • Abusos sexuais e outras agressões

 
Desenvolver atitudes de:

  • aceitação das diferentes partes do corpo e da imagem corporal
  • aceitação positiva da sua identidade sexual e da dos outros
  • reflexão face aos papéis de género
  • reconhecimento da importância das relações afetivas na família
  • valorização das relações de cooperação e de interajuda
  • aceitação do direito de cada pessoa decidir sobre o seu próprio corpo

Desenvolver competências para:

  • expressar opiniões e sentimentos pessoais
  • comunicar acerca de temas relacionados com a sexualidade
  • cuidar, de modo autónomo, da higiene do seu corpo
  • envolver-se nas atividades escolares e para a sua criação e dinamização
  • atuar de modo assertivo nas diversas interações sociais (com familiares, amigos,
  • colegas e desconhecidos)
  • adequar as várias formas de contacto físico aos diferentes contextos de
  • sociabilidade
  • identificar e saber aplicar respostas adequadas em situações de injustiça, abuso ou
  • perigo e saber procurar apoio, quando necessário.

* Adaptado de Educação Sexual em Meio Escolar: linhas orientadoras/Ministério da Saúde e APF. Lisboa, 2000.

Áreas e temas

ÁreasTemas
Área 1: O meu corpoTema 1: Anatomia e Fisiologia
Tema 2: Conceção, gravidez e parto
Área 2: Sexualidade e Relações InterpessoaisTema 1: Género
Tema 2: Sentimentos, gostos e decisões
Tema 3: Os diversos tipos de relações
Tema 4: Abusos sexuais
Tema 5: Competências relacionais
Área 3: Expressões da sexualidadeTema 1: Papéis sexuais
Tema 2: As famílias
Área 4: Saúde Sexual e ReprodutivaTema 1: Higiene e Saúde 

Área 1: O meu corpo

Justificação

Nesta faixa etária, as crianças apresentam uma grande curiosidade pelos temas sexuais. As características do seu pensamento manifestam-se no interesse pelo seu próprio corpo e pelas diferenças relativas ao outro sexo (Sánchez, 1999) e à sexualidade dos adultos (Marques, 2000).
Depois da preocupação com o seu corpo, a sua curiosidade cristaliza na curiosidade sobre a origem das pessoas, fazendo com que procurem obter informações sobre a sua origem. Deve dar-se resposta às dúvidas das crianças, sempre com sinceridade, com verdade e partindo das suas conceções prévias (Espinosa, 1999b). Isto porque, a forma como a sexualidade da criança irá evoluir, está intimamente relacionada com as respostas que serão dadas às suas perguntas e ao seu comportamento perante a descoberta de um corpo sexuado (Marques, 2000).
Assim, pretende-se que as crianças obtenham conhecimento e aprendam a valorizar o corpo, dando importância a todas as diferentes partes deste, sem exceção, devendo realçar-se os aspetos positivos de cada pessoa e promover a autoestima positiva. Para além disso, a abordagem do corpo deverá também centrar-se na compreensão dos mecanismos da reprodução humana, nomeadamente na conceção, na gravidez e no parto (Forreta, 2002).
As atividades que serão apresentadas de seguida, pretendem ajudar as crianças a conhecer o seu próprio corpo, as diferenças físicas entre meninos e meninas e aquelas, mais visíveis nas pessoas adultas, para que possam adquirir progressivamente uma conceção de corpo como fonte de sensações, comunicação e prazer (Espinosa, 1999b).

Objetivos pedagógicos

Alcançar conhecimentos sobre:

  • O corpo que cresce e que sofre transformações ao longo do desenvolvimento humano;
  • As diferenças anatómicas ente o corpo do rapaz e da rapariga;
  • A existência de diferenças físicas individuais;
  • A existência de semelhanças físicas individuais;
  • O corpo, enquanto fonte de sensações, comunicação e prazer;
  • O processo básico de conceção, gravidez e parto.

Trabalhar atitudes:

  • De valorização do corpo, como fonte de sensações, comunicação e prazer;
  • De aceitação do seu corpo e das funções do mesmo;
  • De reconhecimento das diferenças físicas individuais, sem conotações discriminatórias;
  • De reconhecimento da sexualidade como fonte de prazer, comunicação, afetividade e com função de reprodução.

Trabalhar e constituir competências para:

  • Entender a evolução do próprio corpo e do corpo humano, em geral;
  • Perceber a sua origem e o processo associado à origem dos outros;
  • Utilizar, de forma consciente, o corpo como meio de comunicação

 

Área 2: Sexualidade e relações interpessoais

Justificação

A primeira fase do processo de sexualização caracteriza-se pelo desenvolvimento da identidade, enquanto pessoa pertencente a um determinado sexo – homem ou mulher (Félix, 2002). Esta identidade de género é constantemente influenciada pela sociedade (Marques et al., 2000) e resulta de uma série infindável de fenómenos culturais e de experiências. Experiências com os familiares e com os pares, em que as características biológicas interagem com uma série de estímulos, de modo a definir o género (Sadock, 2005, referido por Sampaio et al., 2007).

Também a afetividade é considerada como uma das componentes essenciais de uma sexualidade responsável (Sampaio et al., 2007). Como tal, deverão ser trabalhadas as relações interpessoais, ao mesmo tempo que se procura a valorização dos afetos e expressões de sentimentos que ligam as crianças aos outros. Ao fazer-se isso, estarão a desenvolver-se competências sociais de integração e de relacionamento positivo com os outros (Forreta, 2002).

De facto, a componente relacional assume-se como uma componente estruturante, para o exercício pleno da sexualidade individual. Assim, segundo Villegas (1993), é importante que pensemos nas nossas relações com os outros, para aprendermos a comunicar os nossos desejos e sentimentos, a dizer o que nos agrada e não agrada. 

O abuso sexual de crianças é descrito por Bagley e King (1990, referidos por APPEPASC, 2006), como sendo o maior problema de saúde mental do momento, já que este provoca consequências arrasadoras nas suas vítimas. Daí que a melhor forma de reduzir essas consequências passe pela prevenção dos abusos.
Desta forma, será imprescindível promover que as crianças sejam capazes de distinguir os diferentes tipos de toques por parte dos adultos, reconhecer quando estes são invasivos e impróprios e serem capazes de contar a alguém a ocorrência do abuso (APPEPASC, 2006).

De seguida, será apresentado um conjunto de atividades que pretende ajudar as crianças a obterem um reconhecimento positivo da sua identidade de género, a expressarem os seus sentimentos e emoções nos diversos tipos de relações interpessoais. Para além disso, pretendem otimizar as suas competências relacionais e a sua capacidade para prevenir o abuso sexual e lidar com um possível abuso.

Objetivos pedagógicos

Alcançar conhecimentos sobre: 

  • A identidade de género;
  • As emoções e os sentimentos;
  • Os diferentes tipos de toques por parte dos adultos e pares;
  • O que fazer em caso de abuso;
  • Os vários tipos de relações interpessoais;
  • As formas adequadas de relacionamento interpessoal, em vários contextos.

Trabalhar atitudes: 

  • De reconhecimento positivo da sua identidade de género;
  • De partilha de vivências pessoais com o grupo;
  • De reconhecimento dos tipos de contacto interpessoal, adequados e inadequados, por parte de adultos e pares;
  • De busca ativa de ajuda, em caso de abuso;
  • De interação social, através da cooperação no grupo.

Trabalhar e construir competências para: 

  • Expressar de forma saudável a sua identidade de género;
  • Identificar expressões emocionais e efetuar a sua associação a sentimentos;
  • Identificar e exprimir o próprio estado de espírito;
  • Reconhecer e agir de forma ativa, nos casos de abuso;
  • Adequar as várias formas de interação nos diferentes contextos de sociabilidade. 

Área 3: Expressões da sexualidade 

Justificação

Na identidade sexual, já parcialmente trabalhada no ponto II, para além das questões relacionadas com o género, inscrevem-se as questões relacionadas com os papéis sexuais (Forreta, 2002).

Os papéis sexuais estão presentes ao longo de toda a vida e, ao contrário da identidade sexual, mudam de acordo com as mudanças sociais e com as novas competências que vão sendo adquiridas, (Badinter, 1993; Calderone, 1979; Félix, 1995; López & Fuertes, 1999; Zapian, 2001, referidos por Félix, 2002). É nas mudanças sociais que os educadores (pais, educadores e professores) têm um papel importante (Félix, 2002), devendo questionar-se as características consideradas culturalmente como próprias de um ou outro sexo, procurando não as reforçar. Ao mesmo tempo, deve-se procurar desenvolver atividades de compensação que contribuam para eliminar estas atitudes e comportamentos discriminatórios (Espinosa, 1999b), transmitindo valores e atitudes igualitários (Villegas, 1993).

Por sua vez, a família assume-se como a instância social com o papel mais determinante no desenvolvimento e na educação da sexualidade da criança, quer pela importância dos vínculos afetivos entre filhos e pais, quer pela influência destes como modelos de observação quotidiana (Marques et al., 2000).

Assim, o desenvolvimento da sexualidade dependerá da interação entre as motivações internas e os relacionamentos interpessoais, mas será também fortemente influenciada pela forma como é vivido o quotidiano familiar na esfera afetiva-sexual (Sampaio et al., 2007).

A forma como este quotidiano é vivido em cada família, dependerá em primeira instância do tipo de família e das teias relacionais que dentro dela se estabelecem. Deste modo, será importante abordar as diferentes tipologias de família existentes em cada grupo de crianças, procurando aceitá-las e valorizá-las.

Partindo da realidade familiar de cada criança, deverá também ser promovido o conhecimento das várias profissões, a sua valorização social, o questionamento do “género" das mesmas e o reconhecimento do trabalho doméstico (Espinosa, 1999b).

Objetivos pedagógicos

Alcançar conhecimentos sobre:

  • Os papéis sexuais;
  • As divisões sexuais do trabalho e das tarefas domésticas;
  • As famílias.

Trabalhar atitudes:

  • De reconhecimento da importância das capacidades, qualidades pessoais e preferências na escolha de uma profissão, em detrimento do género;
  • De reconhecimento do trabalho doméstico como uma tarefa coletiva;
  • De reconhecimento e aceitação das diferentes formas de estrutura familiar existentes.

Trabalhar e construir competências para:

  • Escolher uma profissão, conscientemente e livre de estereótipos sexuais e de género;
  • Colaborar nas tarefas domésticas e familiares;
  • Cooperar em ambiente familiar e valorizar os vários tipos de famílias existentes.

 

Área 4: Saúde Sexual e Reprodutiva

Justificação

A sexualidade está intimamente relacionada com a saúde, já que esta se entende como fomentadora do desenvolvimento ótimo do bem-estar da pessoa e da comunidade (Espinosa, 1999a).
Nesta faixa etária, as crianças começam a dar mais importância às experiencias alheias, preocupando-se com o facto de poderem ser afetadas por situações idênticas às que atingem os outros (CNLCS, 2002).
Assim, na Educação Sexual, deve também dar-se destaque aos hábitos básicos de cuidado corporal e de bem-estar geral, o que passa pelas horas de sono, de televisão e tempo de lazer, dentro de uma visão integral e positiva do que significa o nosso corpo (Espinosa, 1999b).
Desta forma, a criança será capaz de adquirir progressivamente uma conceção de corpo como fonte de sensações, comunicação e prazer (Espinosa, 1999b).

Objetivos pedagógicos

Alcançar conhecimentos sobre:

  • Os cuidados a ter com o corpo;
  • Hábitos de higiene;
  • Necessidades básicas de alimentação, sono e afeto.

Trabalhar atitudes:

  • De valorização das práticas que favorecem o desenvolvimento são do corpo;
  • De reconhecimento da importância de hábitos de higiene e satisfação das necessidades básicas de alimentação, sono e afeto.

Trabalhar e construir competências para:

  • Colocar em prática hábitos de higiene e de bem-estar corporal.

"Projeto Corpo das Palavras"

O Projeto Corpo das Palavras produziu, em 2011, um kit bibliográfico de apoio às acções de Educação Sexual com crianças do 1.º ciclo do Ensino Básico, com os seguintes objetivos gerais:

  • Selecionar e reunir, num só recurso, material bibliográfico diversificado de apoio à promoção da literacia em saúde sexual e reprodutiva;
  • Promover a educação sexual através da leitura;
  • Melhorar e alargar o apoio prestado aos educadores e professores contribuindo para a sua formação em educação sexual;
  • Estimular o interesse pelo desenvolvimento de ações de educação sexual nas escolas do 1º ciclo do ensino básico;
  • Criar oportunidades de reflexão e partilha sobre os temas básicos e de introdução à saúde sexual e reprodutiva;
  • Reforçar e dinamizar a cooperação entre o Centro de Recursos em Conhecimento da APF e os agentes educativos.

Destinatários

  • Professores/as do 1º ciclo do ensino básico, e outros técnicos, que pretendam desenvolver atividades no âmbito da educação sexual e saúde reprodutiva com este grupo etário;
  • Investigadores/as na área do desenvolvimento e educação sexual para a infância.

Integra:

  • Um conjunto de documentos de apoio técnico-pedagógico e de referência que podem ser utilizados autonomamente e/ou como apoio à leitura das histórias;
  • Um grupo de livros do tipo narrativo e ficcional, organizado em três grandes temas, para os quais foram feitas fichas de leitura  de apoio à exploração de conteúdo;
  • Ficha de avaliação das atividades;
  • Sugestões de outros livros pertinentes para ler e explorar em contexto de aula;
  • Definição de saúde sexual e reprodutiva da Organização Mundial de Saúde;
  • Bibliografia técnica.

Aceda ao Projeto Corpo das Palavras na íntegra