Desenho de Projetos em Educação Sexual

Educação Sexual na prática…

O trabalho em Educação Sexual (ES) é um trabalho complexo, nomeadamente pelas questões morais e éticas que implica.

Daí que o desenvolvimento de projetos nesta área exija simultaneamente conhecimentos técnicos específicos e reflexão individual e em grupo sobre a temática.

Para além disso, a abordagem dos afetos e das atitudes pressupõe também treino de competências pessoais e de comunicação.

Nesta secção, encontrará informação sobre o contexto reflexivo da educação sexual, bem como metodologias e atividades de aplicação prática nos diversos níveis de ensino, facilmente adaptáveis a situações concretas.

Não se esqueça que uma das regras básicas do processo de formação é conhecer o seu contexto e adaptar as sugestões ao grupo com o qual desenvolve trabalho.

Refletir em Educação Sexual

A importância da Educação Sexual para o desenvolvimento do indivíduo.

"Haverá quem diga que, no capítulo da sexualidade, o conhecimento é algo que lhe retira o encanto; mas poderá haver também quem imagine que o conhecimento é que irá resolver esse problema. Porventura, nem lhe retira o encanto, nem a resolve, como por encanto.

Antes de apresentar os conteúdos, a reflexão sintética que talvez eu pudesse deixar é que, para além de 'fazer amor', há um 'fazer do amor' ao qual importa atender. O amor é também uma forma de cultura, isto é, alguma coisa que se tem de cultivar. E, em todo esse processo, que é seguramente complexo, o conhecimento, sem retalhar encantos, pode constituir um ingrediente extremamente importante para a elevação e enriquecimento da qualidade que nós pomos nesse modo de habitar o mundo, a história, a vida e a relação com os outros".

José Barata-Moura

7 Regras básicas

para o debate de ideias em Sexualidade:

  1. Crie um clima seguro e de confiança mútua;
  2. Conheça os/as destinatários/as (alunos/as ou formandos/as);
  3. Estabeleça regras com base no respeito mútuo;
  4. Saiba ouvir;
  5. Respeite as opiniões do grupo e de cada indivíduo;
  6. Considere como pertinentes todas as questões; e
  7. Convide todos a participar no debate, mas permita que só participe quem quiser.

Como implementar?

Quatro condições essenciais:

1. Diagnóstico de partida

Para iniciar o seu trabalho na área da Educação Sexual, é conveniente começar por fazer um diagnóstico sobre a situação do tema na sua Escola:

Este tema já tem vindo a ser tratado na sua Escola?

Se sim, de que forma? Quais são os pressupostos teóricos utilizados? Tenha consciência de que existem diferentes perspetivas de abordagem da Educação Sexual. Por exemplo, há quem baseie o seu trabalho apenas nos aspetos biológicos da sexualidade, ou enfatize unicamente a informação de carácter médico, como forma de evitar a doença, ou ainda, quem incida a atenção na necessidade de abstinência por parte dos jovens e não discuta contraceção ou sexo seguro. Estas são apenas algumas das perspetivas possíveis de encontrar, apesar de as Linhas Orientadoras da Educação Sexual em Portugal, publicadas em 2000, preconizarem uma visão holística do tema.

Por quem? Se o tema já é presença no plano curricular, convém saber quem tem tido a incumbência de desenvolvê-lo. O trabalho com toda a comunidade educativa é essencial e se já existem projetos desenhados e implementados deverá tentar conhecê-los o mais aprofundadamente possível. Não se esqueça que trabalhar em grupo é uma mais-valia, impossível de prescindir.

Como? Necessita também de conhecer quais as metodologias e os recursos pedagógicos a utilizar. Tente saber, na sua área geográfica, quem já produziu e testou materiais e quais as entidades que disponibilizam informação sobre este tema.

Para quem? É essencial conhecer o seu público-alvo. Quais as suas necessidades, questões e desejos acerca deste tema? Qual o seu contexto socioeconómico e familiar?

2. Procure informação sobre sexualidade

Não se limite apenas a pesquisar documentação sobre educação sexual. Alargue a sua visão e tente conhecer as diferentes dimensões da sexualidade, numa perspetiva holística e integradora.  A educação sexual  não se restringe à transmissão de informação, implica trabalhar atitudes e são necessários também conhecimentos relacionados com o desenvolvimento de competências básicas de vida e de comunicação.

Questões como valores, personalidade, autoestima,  imagem do corpo, género, expressão física, socialização, são algumas das que compõem o tema da Educação Sexual e sobre as quais necessitará de trabalhar. 

3. Questione-se

Reflita sobre as questões morais e éticas que a Educação Sexual pressupõe e estabeleça o seu próprio ideário. 

4. Tenha uma linguagem e uma atitude inclusivas

Para ter sucesso no seu trabalho, é conveniente que tenha uma linguagem inclusiva, ou seja, que o seu discurso não exclua ninguém. Tenha em atenção que hoje em dia, o conceito de família alargou-se e temos diferentes formas de agregados familiares: há crianças e jovens que vivem só com um dos pais, outros com dois pais ou duas mães... Substitua a referência a namorado ou namorada por relações de namoro de forma a conseguir abarcar todas as realidades...

Não parta de ideias pré-concebidas e nunca empregue ou reforce estereótipos: não está provado que todas as pessoas jovens com determinada idade já tenham tido relações sexuais completas; não é certo que o seu discurso se dirija sempre a pessoas heterossexuais...

O Projeto

Metodologia de Projeto               

  • Tomada de decisão acerca da implementação de programas de educação sexual
  • Obtenção do apoio dos órgãos de gestão e da família
  • Criação de um grupo de elementos pertencentes à comunidade educativa interessados em colaborar
  • Criação de um núcleo de ação que, trabalhando em equipa, desenhem o projeto propriamente dito
  • Desenho do projeto:
    Caracterização da instituição
    Ambiente interno
    Ambiente externo
    Levantamento de necessidades não resolvidas
    Inventário de problemas
    Estabelecimento de prioridades
    Definição das finalidades 
    Definição das estratégias
    Definição dos objetivos
    Definição das atividades
    Discussão do projeto na escola
    ​Aprovação do projeto