A criança até aos 3 anos

O recém-nascido

O bebé cresce e vai desenvolver-se a um ritmo que é só dele. Aos poucos, a mãe e o pai vão aprendendo a conhecer o seu filho, ao mesmo tempo que o bebé os vai conhecendo também.

Algumas características

  • Dorme cerca de 20 horas por dia.
  • Ainda só vê a cerca de 25 cm de distância.
  • As mãos estão a maior parte do tempo fechadas e agarram-se com força aos dedos do adulto.
  • A única forma de se expressar é pelo choro.
  • Tem um espaço no alto da cabeça, chamado de moleirinha ou fontanela, apenas coberto com a pele do bebé. A moleirinha deve fechar entre os 12 e os 18 meses de vida do bebé.
  • Tem geralmente as mãos frias, mesmo que não tenha frio. Percebe-se melhor se precisa de agasalho, pela temperatura das pernas, dos braços e do pescoço.

O bem estar do recém-nascido

Um ambiente calmo e limpo

  • Deve dormir num espaço com uma temperatura entre os 20º e os 22º C.
  • Se necessário deve vestir-se mais roupa no bebé isto porque também não é adequado colocar muita roupa de cama por cima do bebé por causa do risco de sufocar.
  • Ter junto de si objetos fofos, cores suaves ou música de embalar.
  • Não estar demasiado agasalhado nem muito à fresca. Mesmo no Verão o bebé deve ter sempre uma camisola interior.
  • É importante sentir-se aconchegado.

As primeiras roupas

  • Devem ser 100% algodão de modo a evitar alergias.
  • A pele do recém-nascido é extremamente fina e delicada e o bebé sente-se mais confortável com roupa macia.

Cuidados a ter com o bebé

  • Nunca se deve tapar a cara do bebé, nem com a fralda de pano.
  • Quando está no "ovo" deve estar sempre preso. Nem que a viagem seja até à esquina.
  • Deve dormir no seu berço ou caminha de grades.
  • Não se chupa a chucha e volta a dar ao bebé.
  • Não se devem deixar restos de leite no biberão, pois estes são propícios ao desenvolvimento de bactérias.
  • O bebé deve estar num sítio seguro, onde dificilmente possa escapar da vista do pai ou da mãe. De um momento para outro o bebé adquire a capacidade de se virar ou mudar de posição podendo cair facilmente.

Mudar a fralda

Para mudar a fralda, deve ter tudo o que necessita à mão: 

  • Resguardo para colocar por debaixo do bebé;
  • Fraldas;
  • Toalhitas ou compressas;
  • Creme para o rabinho, se necessário.

Sono

O que fazer para um sono tranquilo?

  • Deitar o bebé para o lado direito ou de barriga para cima (peça a opinião do seu pediatra quanto a este assunto pois as opiniões divergem).
  • Pode colocar-se uma fralda de pano debaixo da cabeça, caso o bebé bolse.
  • O colchão deve estar ligeiramente elevado na zona da cabeça.
  • Não utilizar quartos muito aquecidos, é preferível vestir melhor o bebé.

Cólicas

O que fazer se o bebé tiver cólicas?

  • Podem adquirir-se na farmácia alguns produtos que se juntam ao leite;
  • Podem colocar-se na boca do bebé umas gotinhas próprias para os gases;
  • Pode aquecer-se uma toalha molhada e dobrá-la em forma de quadrado, introduzi-la num saco de plástico bem fechado e colocá-la sobre a barriga do bebé quando estiver morna;
  • Pode massajar-se a barriga do bebé ao de leve, desenhando círculos, no sentido dos ponteiros do relógio;
  • Pode colocar-se um saquinho de sementes morno no antebraço e colocar o bebé de barriga para baixo em contacto com esse saquinho. 

Os cuidados de higiene do recém-nascido 

A higiene do bebé deve ser feita de cima para baixo, ou seja, da cabeça para os pés. 

Olhos

  • Limpar de fora para dentro com compressas e soro fisiológico.
  • Utilizar compressas diferentes para cada olho.

Orelhas

  • Limpar só o exterior do ouvido com compressas e soro fisiológico.
  • A cera acaba por sair por si em pequenas bolinhas.

Banho de imersão

  • O braço esquerdo do adulto segura a axila esquerda do bebé, servindo de apoio às suas costas.
  • A mão direita lava o bebé (ou vice-versa).
  • Para lavar as costas, vira-se o bebé segurando com a mão direita na axila direita girando-o sobre o braço esquerdo do adulto até ficar de costas para cima. A mão esquerda do adulto segura agora na axila direita para segurança do bebé (ou vice-versa).

Umbigo

  • O umbigo cai mais ou menos uma semana após o parto. 
  • Pode ser tratado com álcool de 70º e compressas esterilizadas.
  • As compressas podem ficar no local, não precisam de levar outra proteção por cima.
  • É importante vigiar para ver se não desenvolve infeções.
  • Se necessário, colocam-se umas gotas de álcool (sempre a 70º na fase final e depois de cair, com a ajuda de um cotonete.

Cortar as unhas do bebé

  • O corte das unhas das mãos e dos pés faz-se a direito, não se devem cortar os cantos.
  • Deve utilizar-se uma tesoura apropriada.
  • No final pode passar-se uma lima fininha de cima para baixo das unhas.

Órgãos genitais

  • A higiene dos genitais é uma parte fundamental na promoção da saúde da criança.
  • Nas raparigas, especial cuidado com a vulva, limpando-a cuidadosamente. Para evitar alergias podem utilizar-se compressas com soro fisiológico.
  • Nos rapazes, deve-se aproveitar o pós banho para puxar lentamente o prepúcio (pele) para trás sem forçar e, de seguida, voltar a largá-lo. A opinião médica divide-se em relação a quando começar, pois alguns referem não ser prudente puxar até aos três anos (enquanto utilizar fraldas) e simplesmente garantir uma boa higiene. Ambas as opiniões defendem que se deve abandonar o puxão brusco.

Dos 0 aos 3 meses

  • O bebé já é mais sociável, não acorda apenas para comer, mas também, para conhecer melhor o que está à sua volta. 
  • Brinca muito com as suas próprias mãos, porque entretanto as descobriu.
  • Começa a sorrir com a intenção de provocar uma reação e também como resposta a algo de que gostou.
  • Gosta de rocas. 
  • Gosta de canções.
  • Aprecia brinquedos com texturas e sons diferentes, cores vivas. 
  • Pode ter cólicas com alguma frequência.

Dos 3 aos 6 meses

Entre os 3 e os 6 meses o bebé evolui bastante. As rotinas diárias do bebé são importantes para que ele se possa ir apercebendo do que se passa à sua volta.

Marcos importantes dos 3 aos 6 meses:

  • Emite muitos sons e gosta de palrar.
  • Aos 3 meses o bebé já sorri com intenção. 
  • Olha com atenção à sua volta e tenta alcançar com o corpo o objeto para o qual está a olhar.
  • Descobre a forma, o tamanho, o peso e a textura.
  • Normalmente, já dorme a noite toda. 
  • É estimulado através da relação com os pais e outras pessoas. 
  • Gosta de brinquedos com textura e sons e de brincar no banho. 
  • Aprecia os sons e jogos de surpresa, como o "cucu!".
  • Começa a ser capaz de comer alimentos semissólidos e sólidos. 
  • Por volta dos 6 meses já se deve sentar e também já rebola.

Cuidados a ter dos 3 aos 6 meses:

  • Nunca deixar o bebé sozinho no banho.
  • Nunca deixar o bebé em cima do sofá deitado ou em cima de uma cama alta, ele já rebola e pode cair.
  • Cuidado com os objetos pequenos porque o bebé pode levá-los à boca e engasgar-se.

Dos 6 meses ao 1º ano de idade

  • Nesta fase o bebé começa a gatinhar, podendo mesmo começar a andar.
  • Por volta dos 8 meses, o bebé pode chorar quando está perto de pessoas estranhas. É uma fase normal e passageira.
  • Gosta bastante de atividades do tipo "aparece e desaparece" e "onde está?" e as escondidas.
  • Começa a ter um brinquedo preferido, que o acalma quando fica mais agitado.
  • Torna-se um pouco mais independente e quer fazer as coisas sozinho.
  • Já percebe que os objetos que saem da sua frente não desaparecem e, por isso, procura-os.
  • Atira objetos para o chão para adquirir a noção de causa - efeito.
  • Já faz pinça com os dedos, apanha objetos pequenos.
  • Imita os adultos, repete sons e já diz algumas palavras.
  • Experimenta os sons podendo, por vezes, gritar, o que é normal.
  • Gosta muito de brincar e até às refeições arranja motivos de brincadeira.
  • Começa a largar e a ver onde caem os objetos. Não faz isto para irritar os pais, mas sim, porque está a descobrir como funcionam as coisas.

Cuidados a ter dos 6 meses ao 1º ano de idade

  • Deve descer-se o estrado da cama, pois o bebé pode começar a querer levantar-se agarrado às grades.
  • As tomadas elétricas e cantos dos móveis devem estar protegidos.
  • As bebidas quentes não devem estar ao alcance da criança.
  • O objetos perigosos devem também estar longe do alcance da criança (medicamentos, produtos de limpeza e higiene, vidro, louça, talheres, ferro de engomar). 

Recomendações sobre disciplina dos 6 meses ao 1º ano de idade

  • O bebé não tem "manhas" ou intenção de zangar a mãe ou o pai. Ele/a pode tentar manipular os pais, porque essa é a única forma que conhece para atingir os seus objetivos. É também normal que o bebé queira mexer em tudo. Faz parte da sua descoberta do mundo, uma vez que tudo é novo para ela/e.
  • Não o castigue, tente antes impor-lhe alguns limites. 
  • Mostre-lhe por meio de expressões faciais ou dizendo em vários tons de voz que não deve mexer em certas coisas. 
  • Fale com um tom de voz firme e diferente do habitual, mostrando que não está a brincar. 

Do 1º ao 2º ano de idade

Até aos 2 anos a criança já anda e já corre. Quer fazer tudo sozinha e afirmar-se, tendo, por vezes, comportamentos de desafio em relação aos pais e outras pessoas. Faz muitas gracinhas e o adulto consegue entender o seu vocabulário que é agora mais rico. Por vezes, os pais sentem que o/a filho/a se está a afastar deles, mas ele/a está só a ganhar a sua autonomia.

Brinquedos do 1º ano ao 2º ano de idade:

  • Usa-se brinquedos como cubos de empilhar, jogos de encaixe e formas geométricas; 
  • Tanto os meninos como as meninas gostam de brincar com objetos usados nas rotinas da casa, como colheres, caixas de plástico, esfregonas, vassouras, tachos, panelas, entre outros; 
  • Gosta de brinquedos de puxar e de empurrar; 
  • Aprecia livros de imagens; 
  • Brinca experimentando as novas habilidades que consegue fazer com o corpo; 
  • Transporta os brinquedos de um lado para o outro; 
  • Gosta de imitar os adultos, suas expressões e posturas; 
  • Usa muito a massa de moldar; 
  • Gosta de construir legos e puzzles de tabuleiro; 
  • Pode usar lápis grosso para pintar.

Recomendações sobre disciplina do 1º ano ao 2º ano de idade

  • As crianças até aos 2 anos testam muito os limites: os dos pais e de outros adultos.
  • Os castigos por si só não resolvem tudo e o adulto não deve proibir a criança de se afirmar, mas sim, limitar-lhe alguns comportamentos (principalmente aqueles que põem a criança em perigo).
  • As crianças já correm, pelo que é necessária maior atenção dentro e fora de casa.
  • Só agora se deve introduzir a almofada na cama.

O Bacio

É na fase dos 18 aos 24 meses que se deve educar a criança a utilizar o bacio. Só nesta altura estará preparada para conseguir controlar melhor o seu corpo. A atitude inicial da criança é ignorar o bacio. Será nesta altura que a criança estará preparada para começar a pedir para ir ao bacio. 

Estratégias para introduzir o bacio na rotina do bebé:

  • O bacio deve ficar num local onde o bebé o veja bem (p. ex.: perto do quarto, à entrada da casa de banho).
  • Não convém dar demasiada importância ao bacio porque isso pode aumentar a sua rejeição pelo bebé.
  • A brincadeira pode ser uma boa ferramenta para conseguir introduzir o hábito de fazer as necessidades no bacio. Dar um objeto que o bebé goste, como um livrinho ou um boneco que o entretenha pode ajudar nesta fase.
  • Se o bebé rejeitar o bacio, não deve forçar. Por vezes, o bebé está sentado no bacio muito tempo sem fazer chichi ou cocó e quando lhe colocam a fralda ele faz logo de seguida. Faz isso porque está habituado a fazer na fralda e não no bacio.
  • Não o sente em frente à televisão pois ele deve perceber que está sentado no bacio para fazer as suas necessidades, não para ver desenhos animados.
  • É preciso ter muita paciência. Não tenha pressa.
  • É comum nesta idade a criança escolher um local para fazer as suas necessidades (ex: atrás das cortinas, num canto e pode sentar-se como se estivesse no bacio ou na sanita). 
  • Se tiver dificuldades nesta fase, consulte o seu médico assistente ou pediatra. 

Do 2º ao 3º ano de idade

A criança até aos 3 anos está a aprender as regras e normas sociais. Centra-se muito no "é meu", agarra-se às suas coisas e esconde-as. Pode fazer birras porque tem sono, porque está doente ou simplesmente porque está a ser contrariado/a. Ao crescer, a criança tem de aprender que nem tudo pode ser como ele/a quer.

Capacidades da criança dos 2 aos 3 anos de idade

  • Aos 3 anos já controla as fezes e a urina e vai sozinha/o à casa-de-banho. 
  • Já diz frases completas e tem um vocabulário muito rico.
  • Pode pintar com lápis de cor ou de cera grossos.
  • Brinca com o quadro de escrever.
  • Gosta de ouvir histórias.
  • Aprecia mexer em plasticinas, fazer pinturas com os dedos ou pincel.
  • Gosta de material para colagens.
  • Anda de triciclo.
  • Gosta de brincadeiras de faz de conta e de brincar com outras crianças.
  • Gosta de ouvir música.
  • A partir dos 2 anos a criança já pode ir ao dentista
  • A partir dos 3 anos é possível que comece a ter terrores noturnos. 

Disciplina dos 2 aos 3 anos de idade

O bom senso e um entendimento sobre a educação dos filhos é fundamental para o equilíbrio e bem-estar psicológico das crianças. É importante que quem cuida e educa a criança (inclusive avós e outras pessoas), conversem sobre as regras que consideram importantes para a criança de forma a que todos atuem da mesma forma para com ela.

Muitas birras acontecem em locais públicos. Esta pode ser uma fase difícil para os pais, mas é muito importante ser firme com a criança. O sentido de humor e a paciência podem ser a chave para algumas birras. 

A excessiva atenção alimenta a birra, pelo que uma estratégia possível pode ser não dar atenção à criança durante o período em que apresenta o comportamento desapropriado. Os adultos devem, no entanto, permanecer atentos para o caso da criança fazer alguma coisa que seja perigosa.

Terrores noturnos

É possível que a criança a partir dos 3 anos tenha noites mais agitadas e que acorde com medo, a gritar ou a chorar. A isto dá-se o nome de terrores noturnos.

Os terrores noturnos são normais e servem para libertar as tensões do dia-a-dia da criança. Por isso não se deve reprimir e muito menos ralhar com a criança por causa disso. O adulto deve procurar acalmá-la, ficar a seu lado durante algum tempo, explicar que já passou e que os pais estão ali com ela. Ter um objeto ou boneco especial de que gosta e que a acalma pode ajudar a criança nesta fase.

Segurança Infantil

Desde que nasce, a criança é curiosa em relação ao que está à sua volta. Vive em constante exploração do mundo: dos sons, das cores, dos objetos e de tudo o que a rodeia. Assim, é natural que queira mexer, tocar, lamber, cheirar ou provar objetos que estão à sua mão (também em casa).

Os seus cuidadores devem permitir que, dentro dos limites da segurança, a criança possa explorar o mundo à sua volta, o que é muito importante para o processo de crescimento e aprendizagem. Porém, devem fazer algumas modificações básicas dentro de casa para evitar acidentes desnecessários. 

A melhor forma de saber o que fazer em caso de emergência é estar preparado/a antes de esta acontecer. 

Tenha um "kit" de primeiros socorros sempre à mão:

  • Desinfetante para feridas
  • Pomada para queimaduras
  • Fita adesiva e compressas esterilizadas
  • Pensos rápidos

Mais informações sobre o Relatório de Avaliação sobre Segurança Infantil e prevenção de acidentes.

Estimular a linguagem

A comunicação e a linguagem da criança devem ser incentivadas desde o nascimento, em todas as fases de desenvolvimento, podendo os pais e educadores estimular a linguagem através de brincadeiras e experiências que favorecem a aquisição de competências e de vocabulário.