Clique para visualizar o site em Português
Click to view this site in English

Quinta-Feira, 18 de Dezembro de 2014

Pesquisar
Imprimir este artigo Envie por e-mail

O que são as IST

As IST, ou infecções sexualmente transmissíveis, são doenças contagiosas cuja forma mais frequente de transmissão é através das relações sexuais (vaginais, orais ou anais).

A prática de sexo mais seguro é a melhor maneira de prevenir a infecção.

As IST mais conhecidas são:

 

VIH/SIDA

VIH é a abreviatura para Vírus da Imunodeficiência Humana e é responsável pelo desenvolvimento de complicações no sistema imunitário e aparecimento da SIDA (Síndrome de Imunodeficiência Adquirida), último estágio da doença.

Os sintomas da infecção pelo VIH são tardios e estão associados a problemas nas defesas do organismo. Apesar de não existir cura, é possível retardar o desenvolvimento da SIDA através da combinação de medicamentos. A melhor forma de diagnosticar a infecção pelo VIH é fazer exames sanguíneos específicos.

A prática de sexo seguro e de comportamentos sexualmente responsáveis é o modo mais seguro de evitar a infecção. Utilizar sempre o preservativo é uma das formas mais eficazes, embora não a 100%, uma vez que o vírus se transmite pelo esperma, pelos fluídos vaginais e pelo sangue. No caso de se ser utilizador de drogas, nomeadamente drogas injectáveis, nunca se deve partilhar uma seringa.

SAIBA MAIS NESTE PORTAL SOBRE VIH/SIDA

Topo

Clamídia

A Clamídia é uma infecção do tipo bacteriano que pode afectar o pénis, a vagina, o colo do útero, o ânus, a uretra, a garganta ou os olhos. É a IST mais comum. Na maioria dos casos não apresenta sintomas, no entanto, quando existem, podem ser:

Nas mulheres: dor pélvica, corrimento vaginal, dor durante a relação sexual ou ao urinar e hemorragia entre as menstruações.

Nos homens: ardor ou dor ao urinar, pus ou corrimento proveniente do pénis, inchaço nos testículos ou no ânus.

A infecção transmite-se por via sexual e também de mãe para filho. O seu tratamento é feito à base de antibióticos.

Topo

Gonorreia ou blenorragia

A gonorreia é uma infecção causada por uma bactéria chamada gonococo que provoca, sobretudo, a inflamação do aparelho genital feminino. Pode também afectar o pénis, a vagina, o colo do útero, a uretra, o ânus ou a garganta. A sua via de transmissão principal é a sexual, mas pode ser também transmitida de mãe para filho durante o parto.

Quando não é tratada pode ocasionar graves problemas de saúde, nomeadamente infertilidade ou gravidez ectópica.

À semelhança da maioria das IST, a gonorreia não apresenta sintomas, pelo que a ida ao médico para exames periódicos é fundamental para a sua detecção precoce. Quando existem, os sintomas são:

Nas mulheres: dor pélvica, hemorragia, febre, penetração dolorosa, dor ao urinar, inflamação da vulva, vómitos, corrimento de cor amarelada ou esverdeada, urinar mais vezes e de forma mais frequente do que o normal.

Nos homens: corrimento do pénis semelhante a pus, dor ou ardor ao urinar, urinar de forma mais frequente do que o normal.

O tratamento da gonorreia é feito com a prescrição de antibióticos.

Topo

Herpes genital

O herpes genital é uma infecção que pode ser causada por dois tipos de vírus. O vírus herpes simplex do tipo 1 e sobretudo o vírus herpes simplex do tipo 2.

A sua transmissão pode ocorrer através da prática de penetração vaginal, de sexo oral ou de sexo anal. A infecção pode também propagar-se através de beijos e carícias, quando há contacto com lesões ou secreções das zonas afectadas.

Os sintomas caracterizam-se pelo aparecimento de bolhas e lesões na área genital quer dos homens quer das mulheres, acompanhadas por dor, prurido e ardor ao urinar.

O herpes pode ser tratado para atenuar as queixas e sintomas. Mas não existe cura, sendo recorrente o seu aparecimento.

Quando surge, aconselha-se a abstinência sexual. A utilização do preservativo é a forma mais adequada de prevenção, embora não seja 100% eficaz.

Topo

Hepatite B

A hepatite B é uma doença causada por um vírus (VHB) que infecta o fígado. É extremamente contagiosa e as suas principais vias de transmissão são o esperma, as secreções vaginais, o sangue, a urina a saliva e o leite materno.

A hepatite B está na origem de complicações mais graves de saúde, como a cirrose ou o cancro do fígado. No entanto, a infecção pode, em determinados casos, ser eliminada pelo organismo.

São considerados comportamentos de risco:

  • relações sexuais vaginais sem preservativo masculino ou feminino
  • sexo oral não protegido
  • partilha de seringas
  • partilha de objectos pessoais como escovas de dentes ou lâminas de barbear
  • manuseamento de agulhas infectadas em contexto hospitalar

Topo

Vírus do Papiloma Humano - HPV

Existem mais de 100 tipos de HPV. Em determinados casos afectam a pele e causam verrugas, cerca de 40 tipos afectam o aparelho genital causando condilomas ou verrugas genitais.

Estima-se que 80% das mulheres e dos homens têm contacto com o vírus em alguma fase da sua vida. Na maioria das situações não resultam em problemas mais graves. Contudo, se o sistema imunitário está mais vulnerável pode tornar-se uma infecção persistente e causar cancro do colo do útero. A forma mais fácil de diagnosticar é através do exame citológico (Papanicolau).

São factores de risco:

  • relações sexuais muito precoces
  • elevado número de parceiros
  • tabagismo

Já existe disponível em Portugal uma vacina que previne a infecção por HPV.

Topo

Sífilis

A sífilis é uma infecção causada por uma bactéria chamada treponema pálida e afecta a vagina, o ânus, a uretra, o pénis bem como os lábios e a boca. Transmite-se pela prática de sexo vaginal, oral ou anal. Embora menos frequente, pode também transmitir-se através dos beijos.

Os sintomas da sífilis não são evidentes e variam consoante o estádio da doença:

Fase 1 - Cerca de 3 semanas após a infecção, aparece uma pequena ferida/úlcera nos ógãos genitais, na boca, na mama ou no ânus.

Fase 2 - 3 a 6 semanas depois do aparecimento da lesão, os sintomas podem incluir febre, dores de cabeça, perda de peso, dores musculares e fadiga.

Fase 3 (última) - Nos casos em que não foi tratada, a sífilis pode levar a danos graves no sistema nervoso, no coração e no cérebro. Esta fase pode ocorrer 1 a 20 anos após a infecção.

O preservativo é o modo mais eficaz de evitar a transmissão da sífilis.

Topo

Infecção por tricomonas

Estas infecções são causadas por um organismo unicelular e afectam tanto mulheres como homens. Normalmente, não apresentam sintomas, mas quando existem, são os seguintes:

Nas mulheres:

  • corrimentos e descargas vaginais
  • pequenas hemorragias
  • prurido ou comichão à volta da vagina
  • inchaço das virilhas
  • necessidade de urinar com frequência

Nos homens:

  • Descargas ou corrimentos provenientes da uretra
  • Necessidade de urinar mais do que o habitual, associada a dor ou ardor

Existe tratamento para as infecções por tricomonas e ambos os parceiros devem ser tratados de modo a prevenir novas infecções.

A utilização do preservativo evita o contacto com as secreções, diminuindo os riscos.

Topo

 

  • POSC - Programa Operacional da Sociedade do Conhecimento
  • IPPF - International Planned Parenthood Federation
  • Policy areas - Non-discrimination & diversity
  • Plug & Play - Soluções Multimédia
  • Símbolo de Acessibilidade à Web[D]
Logotipo da APF Imagem de cabeçalho da APF